ENSAIO SOBRE A ANLISE FLMICA PDF

The analysis will focus on the language used for the production of this film in a historical-cultural. Keywords: film analysis, language, historical-cultural approach. Volta para o centro do vilarejo e avisa o policial. Foucault, A passagem do estado de vida para a morte deve ser ritualizada.

Author:Nikasa Kazinos
Country:Algeria
Language:English (Spanish)
Genre:Sex
Published (Last):23 April 2018
Pages:270
PDF File Size:19.49 Mb
ePub File Size:14.54 Mb
ISBN:525-4-77315-445-4
Downloads:74580
Price:Free* [*Free Regsitration Required]
Uploader:Salmaran



Parte-se, portanto, do texto flmico para desconstru-lo e obter um conjunto de elementos distintos do prprio filme.

Atravs desta etapa, o analista adquire um certo distanciamento do filme. Essa desconstruo pode naturalmente ser mais ou menos aprofundada, mais ou menos selectiva segundo os desgnios da anlise. O analista traz algo ao filme; pela sua actividade, sua maneira, faz com que o filme exista. Mas e, quanto anlise de filmes? Segundo os autores, podemos proceder da mesma maneira e, portanto, j intumos que podemos comear o trabalho quebrando o filme na suas partes constituintes: as sequncias, as cenas, os planos, os elementos dos planos, a banda sonora, etc.

As partes isoladas necessariamente tero que ser articuladas com as outras partes da obra; afinal, a totalidade, o conjunto, o fluxo da obra que nos toma e arrebata.

ANLISE FLMICA 1 o sentido do autor, do seu projecto, das suas intenes: analisar um texto , portanto, reconstruir o que o autor quer dizer; 2 o sentido do texto: este apresenta uma coerncia interna, no necessariamente conforme s intenes explcitas do seu autor; 3 o sentido do leitor, do analista: ele que descobre no texto significaes que se referem ao seus prprios sistemas de compreenso, valores e afectos. Linguagem e Cinema, Christian Metz : 2 anlises : 1 o analista de filmes interessa-se em observar, estudar e investigar como se apresenta, em diversos filmes, um certo tipo de cdigo cinematogrfico.

Este cdigo um determinado procedimento tcnico traduzvel numa configurao imagtica no filme. Os elementos cdigos no especificamente cinematogrficos figurinos, interpretao dos actores, cenrios, etc. O filme visto como uma realizao nica, enquanto distintivo comparativamente a qualquer outro filme e mesmo outro produto cultural.

O sistema a que se intenta chegar a estrutura do seu texto. O texto aquilo que consiste num desenvolvimento manifesto, num objecto concreto, que preexiste interveno do analista, aquilo que precisa ser compreendido. O sistema do filme , aquilo que o analista procura encontrar e que sempre uma construo sua, um objecto ideal construdo pela anlise.

O sistema no tem existncia material, nada mais que uma lgica, um princpio de coerncia, a inteligibilidade do texto: o que preciso supor para que o texto seja compreensvel Metz, Christian. Da obra ao texto, Roland Barthes: Diferencia a obra do texto: a obra um fragmento de substncia, ocupa alguma poro do espao dos livros, enquanto que o texto um campo metodolgico.

A obra pode ser vista nas livrarias , enquanto que o texto demonstra-se; a obra segura-se na mo, o texto mantm-se na linguagem. Por outro lado, chamar o texto de campo metodolgico, no caso de Barthes, explicita uma atitude de interveno na obra, segundo um programa pr-definido, uma determinada maneira de olhar e tratar o filme.

Novamente, em ambos os casos, o sistema para Metz e o texto para Barthes devem ser demonstrados e justificados.

AIRTEL MNP FORM PDF

O Cheiro do Ralo

Parte-se, portanto, do texto flmico para desconstru-lo e obter um conjunto de elementos distintos do prprio filme. Atravs desta etapa, o analista adquire um certo distanciamento do filme. Essa desconstruo pode naturalmente ser mais ou menos aprofundada, mais ou menos selectiva segundo os desgnios da anlise. O analista traz algo ao filme; pela sua actividade, sua maneira, faz com que o filme exista. Mas e, quanto anlise de filmes? Segundo os autores, podemos proceder da mesma maneira e, portanto, j intumos que podemos comear o trabalho quebrando o filme na suas partes constituintes: as sequncias, as cenas, os planos, os elementos dos planos, a banda sonora, etc. As partes isoladas necessariamente tero que ser articuladas com as outras partes da obra; afinal, a totalidade, o conjunto, o fluxo da obra que nos toma e arrebata.

CATALOGO PARAFUSOS TELLEP PDF

Ensaio Analise Film_Vanoye Lete Ficham

Fichamento do livro Ensaio sobre a anlise flmica, ed. Papirus, SP, 7 edio, Paulo, ed. Papirus, 7 ed. Resumo Tendo em vista que a anlise flmica no um fim em si uma prtica que procede de um pedido, o qual est situado em um contexto institucional. Porm, esse contexto varivel, e disso resultam demandas igualmente variveis.

LAROUSSE DE LOS POSTRES PDF

ensaio sobre a análise fílmica

Ensaio sobre a anlise flmica. Marina Appenzeller. Campinas: Papyrus, A anlise flmica no um fim em si. Esse contexto, porm, varivel, e disso resultam evidentemente demandas tambm eminentemente variveis.

Related Articles